Informativo

Radiocirurgia

http://oncologialondrina.com.br/Imagem de Radiocirurgia

Eliminação tumoral sem corte, internação ou anestesia geral é possível? Sim!

Com o avanço da tecnologia, novas possibilidades terapêuticas surgem. Dentre as mais recentes está a radiocirurgia, procedimento indicado para tumores cerebrais benignos, malignos primários ou metastáticos que é realizada no Centro de Oncologia e Radioterapia de Londrina.

“Este é um procedimento feito em uma única sessão, com alta dose de radiação e precisão milimétrica para tratar tumores cerebrais. Dentre as muitas vantagens podemos citar ser um procedimento não invasivo, utilizando de um método estereotáxico sem incisões, sem anestesia geral ou internação. O paciente faz o procedimento e volta para a casa”, explica Dr. Miguel Gabriel Neto, radioterapeuta.

O manejo no procedimento é um dos grandes diferenciais. “Usamos acessórios próprios para a radiocirurgia e também um mecanismo de imobilização bastante rigoroso que impossibilite quaisquer movimentações durante a emissão dos feixes de radiação. Desta maneira, fazemos um único procedimento, com alta precisão e segurança. Vemos isso como uma grande vantagem, principalmente no cenário de pandemia atual”, detalha.

Por ser minimamente invasiva, a radiocirurgia pode ser a primeira escolha como também ser indicada em situações em que a cirurgia é inviável pela localização do tumor. “A escolha do melhor protocolo de tratamento sempre leva em conta a localização do tumor, estadiamento dele, saúde do paciente e outros aspectos levantados na consulta. A rádio-oncologia sempre parte da individualização das terapias para o melhor resultado”, diz Dr. Miguel.

Como toda terapia, há contraindicações como, por exemplo, se o tumor estiver próximo ao nervo óptico. “Tudo é estudado previamente e informado ao paciente. Quando a radiocirurgia não é possível, temos outras opções, como a radioterapia IMRT”, completa.

A radiocirurgia normalmente é utilizada quando há um número pequeno de lesões com pequenos volumes. “Quando as lesões são numerosas ou com volumes maiores, estudamos outras possibilidades tratamento como, por exemplo, a técnica de radioterapia de crânio total com proteção de hipocampo, a qual propicia redução nos níveis de déficit de cognição”, conclui.

Galeria de imagens: